Nódulo Pulmonar
O nódulo pulmonar solitário (NPS) é uma alteração comum nos exames de imagem e muitas vezes são descobertas incidentais na radiografia ou tomografia computadorizada de tórax.



Denomina-se nódulo pulmonar apenas aquela lesão circular abaixo de 3cm, as demais são descritas como opacidade, lesão expansiva ou massa pulmonar, a depender do achado radiológico.

ENVIE A SUA PERGUNTA AQUI OU NO BLOG DO EINSTEIN

A lesão nodular no pulmão pode ter dezenas de causas. Assim como nem tudo que “pia” é asma; nem todo nódulo pulmonar é conseqüência de tuberculose ou outras causas benignas. Em trabalho realizado na Escola Paulista de Medicina e apresentado no congresso Tórax 2011 foi observada uma prevalência de benignidade em metade dos casos operados, sendo que a causa mais comum de achado maligno foi a neoplasia primária do pulmão e de achado benigno as doenças inflamatório-infecciosas. Vale ressaltar que nódulos malignos apresentam períodos de duplicação do volume muito variáveis (de 20 a 400 dias), e o acompanhamento desses pacientes deve levar isso em consideração.

O achado de um nódulo pulmonar em paciente fumante ou naqueles que têm ou tiveram neoplasia em outras partes do corpo constitui achado de maior significância e necessidade absoluta de acompanhamento especializado.

O câncer de pulmão, apesar de não ser o mais prevalente, é o mais letal de todos os tipos de câncer em todo o mundo. A sobrevida média global em 5 anos é de cerca de 15%, sendo que apenas os casos diagnosticados precocemente (Estádio I e II) têm sobrevida superior a 50%. No Brasil, são diagnosticados mais de 25 mil casos por ano; entretanto, considerando-se a estimativa americana de mais de 200 mil casos/ano, é possível que exista um grande número de pacientes que permanecem sem o diagnóstico ou não são devidamente notificados. Isto é aparente quando verificamos prevalência bem mais elevada de casos nos estados do sul e sudeste (> 30/100.000 habs) em comparação com os estados do norte e nordeste (<10 /100.000 habs), apesar de índices de tabagismo pouco diferentes nas capitais, segundo números do INCA

O achado característico do câncer de pulmão inicial é o nódulo pulmonar; entretanto, a apresentação da neoplasia pode muitas vezes ser confundida com imagens em “vidro fosco” ou opacidades comuns encontradas nas pneumonias, malformações congênitas ou doenças granulomatosas; sendo a tuberculose a mais comumente encontrada em nosso meio. Por isso, a presença do especialista, como segunda opinião ou para acompanhar o caso em parceria com o clínico geral, é fundamental para uma condução mais acertada. De forma geral, diante de um achado pulmonar não característico; isto é, cuja imagem não traduz absolutamente o diagnóstico, faz-se necessário um verdadeiro time de especialistas em doenças do tórax (FIGURA 1 ) para contribuir com o sucesso do caso.



Um estudo recentemente divulgado, denominado NSLT (National Screening Lung Trial , realizado nos Estados Unidos, acompanhou durante um longo período de tempo uma população de fumantes superior a 50 mil indivíduos (assintomáticos). Esse estudo foi randomizado da seguinte forma: metade dos voluntários foi acompanhada com a realização de tomografias do tórax de baixa resolução e a outra metade com radiografias anuais. Os resultados desse estudo foram bastante significativos: Houve uma redução na mortalidade por câncer de pulmão na ordem de 22% naqueles pacientes acompanhados com tomografias do tórax. Isso quer dizer que em futuro próximo ou talvez já no presente a tomografia deva ser indicada como forma de avaliação de rotina para indivíduos fumantes, com a intenção do diagnóstico precoce do câncer de pulmão.

Nos casos altamente suspeitos ou com confirmação de Câncer de Pulmão a ABORDAGEM MINIMAMENTE INVASIVA  permite o diagnóstico e tratamento da doença.

As causas dos nódulos pulmonares podem estar relacionadas a uma variedade de doenças, sendo as mais frequentes:  

 
Causas Malignas
Neoplasia primaria de pulmão.
Metástases (neoplasias secundarias).
 
Causas Benignas
Inflamatória / infecciosa: Tuberculose ou infecção fúngica.
Cicatricial: granuloma, fibrose.
Variações anatómicas: vasos pulmonares, linfonodos.
Tumor benigno: Hamartoma.
 
 
Nódulos pulmonares pequenos (menores de um centímetro) de causa indeterminada são vistos com frequência crescente devido à maior utilização da tomografia computadorizada.
Com o avanço da Tomografia Computadorizada helicoidal multi-slice, ainda mais nódulos pulmonares são detectados.
 
Em até 70% das tomografias de tórax, são encontrados nódulos pulmonares.
Este número enorme de nódulos justifica a necessidade de avaliação com um profissional qualificado para esclarecer qual o melhor método para diagnóstico.
Atualmente podemos ter as seguintes condutas frente a um nódulo:
 
Alta por ser obviamente uma cicatriz.
Acompanhamento por tomografias seriadas.
Indicar um biópsia para definir o diagnóstico.
Saber diferenciar qual nódulo merece investigação diagnóstica, definir entre o acompanhamento clínico e o tratamento cirúrgico, depende de uma equipe médica altamente capacitada e familiarizada com esta situação.
 
 
Se você é médico, visite também o site    , onde publicamos mais sobre esse assunto e podemos interagir com discussão de casos, aumentando a nossa rede de contatos em prol do paciente.
 
 
 
 

Fonte: Dr. Altair da Silva Costa Jr, Dr Andre Trajano, Dr Ricardo Sales dos Santos

Voltar

Instituto Torax
Home
Equipe
Convênios
Localização
Contato
Sua Saúde
Doenças do Torax
Calcule o Prejuízo com o Cigarro
Video-Cirurgia e Robótica
Nódulo Pulmonar
Cirurgia Torácica Infantil
Hiperidrose
Detecção precoce do câncer de pulmão
Pet Oncológico
Derrame Pleural
Oncologia Torácica
Cirurgia Torácica
Orientações pré e pós-operatórias em cirurgia torácica
 
Informações
Notícias
Instituto Torax na Web
Publicações
Links
Área Médica
Informações
Valorização Profissional
Discussão de casos
Cálculo de Probabilidade do Nódulo
Galeria de Vídeos e Imagens
As informações contidas nesse site não substituem a consulta médica e devem servir apenas como orientação geral, sem a intenção de indicar ou promover nenhuma terapia específica.
Responsável Técnico: Dr. Ricardo Sales dos Santos CRM-SP 85436
 
Desenvolvimento: Interpágina